Pombo


Os pombos fazem parte do quotidiano, existindo um pouco por toda a parte. As farmácias são muitas vezes abordadas pelos utentes, no sentido de esclarecer algumas questões de maneio e saúde destes animais. O conhecimento da biologia destas aves permitirá um aconselhamento mais ajustado.

Características gerais 
Peso: 200-600 gr, dependendo da raça.
Esperança média de vida: 5-10 anos.

Alimentação
Alimentam-se sobretudo de sementes, fruta e plantas, embora ingiram também desperdícios alimentares, se vivem em liberdade. Uma alimentação adequada inclui sementes de boa qualidade normalmente em mistura de milho (40%), trigo (30%) e ervilha (30%). Num recipiente separado é recomendável a colocação de “grit” (cascalho mineral). Durante a muda aconselha-se a suplementação com cistina e lisina.

Habitat
Os pombos adaptam-se a todos os tipos de ambiente e alojamentos, sejam em pombal, aviário ou ar livre. A higiene do chão, paredes, recipientes e poleiros deverá ser rigorosa e regular.

Reprodução
Os machos e as fêmeas formam casais estáveis e partilham todas as tarefas. No período de acasalamento é recomendável o aumento da quantidade de alimento e a utilização de suplementos vitamínicos. A postura é feita cerca de 2 a 3 vezes por ano e consiste em 2 ovos. A incubação é alternada entre ambos os progenitores e tem a duração média de 18 dias. As crias são alimentadas com uma secreção altamente nutritiva produzida no papo (“leite de cultura” ou “leite de pombo”), e regurgitada directamente para as suas bocas. As sementes são introduzidas progressivamente na alimentação das crias.
Doenças mais comuns
Doenças virais: Coriza herpética, Doença de Newcastle, Varíola.
Doenças bacterianas: Salmonelose, Clamidiose, Colibacilose, Pasteurelose.
Doenças parasitárias: Coccidiose, Tricomonose, Aspergilose, Candidíase, Infestações por Nemátodes e Céstodes. Infestações por ácaros, piolhos e carraças.

Profilaxia
        Higiene das instalações;
        Loteamento adequado (evitar o sobrepovoamento);
        Vacinação;
        Desparasitação regular (análises de 3 em 3 meses para pesquisas de parasitas).

Medicamentos e produtos mais utilizados
Vacinas: Colombovac PMV, Colombovac PMV/Pox, Nobilis Paramyxo P201, a partir das 6 semanas de vida, reforço anual.
Antibióticos: Micoresp, Enroxina, Salmocoli, Sulfaprime, Tilfur, Tiforine.
Antiparasitários internos: CCVer, Ripercol Pombos, Appertex, Spartrix, Tricholyse, Vermizzo, Coccimir, Tricobacter.
Antiparasitários externos: Caniaves pó.
Suplementos nutricionais: Axitol BK, Axitol Pan, Zoovite-forte, Pro-hepatic, Complexo B, Foscavit P, Vitamino-L.


1. Tricomoniase
Esta doença é causada pelo protozoário Trichomona Columbae e, considera-se que cerca de 80% dos pombos velhos são portadores, podendo passar despercebidos. Diz-se com frequência que os pombos velhos vivem em equilíbrio com as tricomonas sem consequências nefastas. Nos borrachos é fatal.

1.1 Sintomas
o   Apatia;
o   Plumagem eriçada;
o   Diarreia viscosa;
o   Sede intensa;
o   Anorexia (falta de apetite);
o   Dispneia (dificuldade respiratória, com postura de pinguim);
o   Placas branco-amareladas na boca e garganta;
o   Adelgaçamento da ave.

1.2 Tratamento
Dimetridazol 1 gr por litro de água durante 7 dias. (ALAZOL; TRICOBACTER).

1.3 Profilaxia
Higiene e desinfecção geral.

1.4 Imunidade
Uma pequena quantidade de tricomonas em pombos em bom estado de saúde induz a produção de anticorpos.



2. Coccidiose
A doença é causada por dois parasitas: Eimeria Labbeana e Elmeria Columbarum.

2.1 Sintomas
v  Ataca os borrachos a partir da terceira semana de idade;
v  Fezes aquosas e descoloridas, por vezes sanguinolentas (nunca é liquida e verde);
v  Perda de peso e forma;
v  Perda de cor da íris do olho, mudança para cinza;
v As mucosas da boca e da garganta ficam pálidas (anemia);
v  Plumagem sem brilho.

2.2 Diagnóstico
Análises de material fecal.

2.3 Tratamento
Coccidiostáticos (BAYCOX).

2.4 Profilaxia
Alternar os coccidiostáticos cada 30 dias. Podem administrar-se juntamente com o tratamento contra as tricomonas. Uma vez terminado o tratamento dar um choque vitamínico durante 3-4 dias. Limpeza a fundo e desinfecção geral dos pombais.



3. A tricomoníase dos pombos
A tricomoníase é uma doença parasitária contagiosa muito frequente nos pombos e que afecta cerca de 80% dos animais. O seu conhecimento permite um aconselhamento mais seguro na farmácia.

3.1 Causas
Provocada por um protozoário flagelado – Trichomonas sp. – comensal dos seios ósseos, orofaringe, esófago e outros órgãos.
Afecta de forma aguda os pombos jovens, que se contagiam a partir do “leite de cultura”, ao serem alimentados pelos pais. A água de bebida e os órgãos contaminados são também importantes focos de transmissão do parasita.
Nos adultos, a infecção é inaparente. São portadores do parasita e manifestam a doença apenas quando se encontram em stress: sobrepovoamento, doença ou parasitismo.

3.2 Sinais
·         Áreas de pigmentação amareladas na mucosa oral e massas caseosas que obstruem o esófago;
·         Sialorreia, epífora;
·         Dificuldade em fechar a boca, movimentos de deglutição repetidos;
·         Polidipsia;
·         Dispneia;
·         Anorexia, perda de peso, apatia;
·         Mau estado corporal;
·         Morte em cerca de 8 dias.

3.3 Diagnóstico
Realizado pelo Médico Veterinário, através do exame clinico dos animais, exames post-mortem e exames complementares de diagnóstico.
As lesões são características mas não patognomónicas. O diagnóstico é confirmado pela análise microscópica de pesquisa do parasita no muco da orofaringe.

3.4 Tratamento
É realizado com o recurso a antiparasitários específicos. Recomenda-se também a suplementação nutricional, sobretudo nos animais em maus estado corporal ou com perda de peso exuberante.

3.5 Profilaxia
Ñ       Higienização frequente das instalações dos animais;
Ñ       Controlo da higiene da água de bebida e dos alimentos;
Ñ       Separar os animais com infecção crónica dos reprodutores;
Ñ       Tratamento dos animais recém-chegados ao bando;
Ñ       Plano de desparasitação adequado ao bando;
Ñ       Inspecções regulares da mucosa oral.

3.6 Produtos mais utilizados
Antiparasitários: Spartrix, Tricholyse, Tricobacter.
Suplementos nutricionais: Anima-Strath, Vitamino-L, Foscavit P.

Bibliografia
www-globalvet.com, 2008            

10 comentários:

  1. Muito bom o material publicado aki, uma pena não se econtrar esses medicamentos no mercado nacional.

    ResponderEliminar
  2. Não é eticamente correto não mencionar todos os medicamentos registados em Portugal para tratar uma doença, especialmente por parte de uma instituição

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde !

    Resgatei um pombo jovem que estava na rua num canto. Ele estava muito fraco. Depois de cuidar dando arroz cozido , aveia em flocos , sementes de linhaça é chia ele tem melhorado cada vez mais. Ah , tb dei avitrin , um suplementado vitamínico para aves Durante esse período. Faz umas 3 semana já. Agora comprei uma ração para aves composta por algumas sementes como alpiste e outras do mesmo tamanho mais ou menos.
    Ele se encontra com uma para deficiente. ( Paralisada ). O que pode ser ? Ah , tb há falta de plumagem no pescoço abaixo do bico. Seu rabo estava sem penas mas agora está crescendo bem rápido e estou o ensinando a voar dando uns treinos . Preciso de dicas por favor !

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde !

    Resgatei um pombo jovem que estava na rua num canto. Ele estava muito fraco. Depois de cuidar dando arroz cozido , aveia em flocos , sementes de linhaça é chia ele tem melhorado cada vez mais. Ah , tb dei avitrin , um suplementado vitamínico para aves Durante esse período. Faz umas 3 semana já. Agora comprei uma ração para aves composta por algumas sementes como alpiste e outras do mesmo tamanho mais ou menos.
    Ele se encontra com uma das patas deficiente ( Paralisada ). O que pode ser ? Ah , tb há falta de plumagem no pescoço abaixo do bico. Seu rabo estava sem penas mas agora está crescendo bem rápido e estou o ensinando a voar dando uns treinos . Preciso de dicas por favor !

    ResponderEliminar
  5. Oi, possivelmente a introdução e o uso contínuo de Hydrovit na água irá melhorar a plumagem. Esse animal parece muito anêmico. O bom do Hydrovit é que se trata de um complexo vitamínico não cumulativo e serve para ser dado a vida inteira. A pata paralisada pode ser por falta de nutrientes ou, ainda, sequela ou indício de bouba aviária - se for um indício, haverá o aparecimento de tumores na pata e até, possivelmente, em outros lugares. De qualquer modo, o Hydrovit deve ser ministrado para sempre na água, pois também serve para fortalecer a ave para enfrentar e se curar de doenças. No caso de bouba aviária, deve-se passar violeta de genciana ou alguma pomada com antibiótico, tal como Furacin, Sulfadiazina de Prata ou Qualiderme. Também dar 4 gotas de Tylotrat no bico, uma vez por dia, até desaparecerem os tumores. Mas o que creio ser mais possível é que a ave ficou com a pata muito dolorida após cair do ninho, com a dor impossibilitando os movimentos da patinha. Forre a gaiola com papel ou jornal para que doa menos apoiar a pata. Cuido de pombos desde toda a vida, desses que caem na rua. Se quiser, pode escrever para o meu e-mail: beebee@terra.com.br - Isabel Cristina

    ResponderEliminar
  6. Achei uma pomba rola na rua, está paralizada e com fezes verdes, tô cuidando com antibióticos o que mais posso fazer?

    ResponderEliminar
  7. Resgatei pombinho (filhote) que está com desequilíbrio motor. O que posso dar para ele?

    ResponderEliminar
  8. Boa noite minha pomba filhote estava ótima do nada ela começou a se debater e entortou o pescoço pra trás , agora se encinenc prostrada , não se alimenta.sozinha mais ,estou dando alimento por seringa e ela está com.a.traqueia inxada como se tivesse torcido o que aconteceu ? Ela nem boa ainda e fica numa caixa aconchegante m.ajude

    ResponderEliminar